Picture
O exercício físco tem o potencial para controlar a diabetes por meios não-médicos, reduzir a gravidade da doença, e reduzir significativamente o risco de complicações a longo prazo.

Diabetes mellitus é uma condição em que o corpo tem dificuldade de tomar a glicose do sangue e entregá-la ao resto do corpo para que ela possa ser usada como energia. Isso é por causa de uma falta ou uma incapacidade de utilizar a insulina, o hormônio necessário para "escoltar" a glicose do sangue para as células do corpo. Existem dois tipos comuns de diabetes:

Diabetes mellitus insulino-dependente, também conhecido como Tipo 1. Pessoas que têm este tipo de diabetes não conseguem produzir insulina e deve tomar insulina por injeção. Devido as preocupações e complicações médicas, o exercício para o diabético do tipo 1 deve ser, sob supervisão médica.

Não insulino-dependente diabetes mellitus, ou tipo 2. Estas pessoas são "resistentes à insulina", significando que eles produzem insulina, mas não é eficaz no acompanhamento da glicose nas células. Oitenta a noventa por cento dos diabéticos são do Tipo 2. O seu médico poderá prescrever uma medicação oral se os níveis de glicose no sangue não puderem ser controlados.Como último recurso, um diabético tipo 2 será colocado na insulina, que é comum nos casos em de escolhas de estilo de vida pobre como o sedentarismo, maus hábitos alimentares e ganho de peso.

Como o exercício pode ajudar
O exercício aeróbio aumenta a sensibilidade à insulina e, juntamente com alimentação adequada, ajuda a restabelecer o metabolismo normal da glicose, diminuindo a gordura corporal. O fortalecimento físico (musculação), também diminui a gordura corporal, aumentando o metabolismo, e tem como principal benefício o aumentando da captação de glicose pelos músculos aumentando a capacidade de armazenar glicose. O exercício pode significar a diferença entre o “manejo médico" e o "manejo pelo estilo de vida" de diabetes tipo 2.

Quem pode fazer exercícios físicos
A Associação Americana de Diabetes recomenda que qualquer pessoa com diabetes seja submetido a um minucioso exame médico para avaliar se há riscos de doença arterial coronariana e que o controle de glicose no sangue é suficiente antes de iniciar um programa de exercícios. O médico irá aconselhar o exercício físico se o paciente tem:

valores de glicose no sangue inferior a 250 mg / dl,  sem sintomas de retinopatia (danos aos vasos sangüíneos do olho), neuropatia (lesões nos nervos e circulação para as extremidades), ou nefropatia (lesão renal),  sem problemas cardiovasculares, como angina, embolia, ou aneurisma; ou nenhuma outra condição que torna desaconselhável o exercício.

Orientações para cuidado dos pés
Para uma pessoa com diabetes, não há tal coisa como uma "pequena bolha no pé". Uma ferida aberta pode se transformar em uma infecção grave e o uso de um calçado apropriado é uma obrigação. Os sapatos devem ser confortáveis, bem ajustados e adequados para o exercício escolhido. Antes de calçar os sapatos, verifique se há pedras ou outros pequenos objetos no interior. As meias devem ser com costuras macias e devem ser trocadas imediatamente depois de um treino; meias suadas aumentam as chances de micoses. Os pés devem ser examinados diariamente em busca de arranhões, cortes, bolhas, unhas encravadas, e calosidades. Contacte seu médico imediatamente se você notar a presença de unhas encravadas, micoses, e cortes ou feridas que não cicatrizam.

Prevenção da hipoglicemia
A hipoglicemia é um risco maior entre os diabéticos tipo 2 em uso de medicação oral, devido ao efeito similar a insulina que o exercício físico proporciona. O aumento da captação de glicose pelos músculos produz baixos níveis sanguíneos de glicose, que podem continuar por 12-24 horas. Os sinais de alerta para as reações leves e moderadas de hipoglicemia são: tremores, aumento da freqüência cardíaca, palpitações, aumento da sudorese, fome excessiva, cefaléia, sonolência, confusão mental e alterações bruscas de humor. No caso de um ataque de hipoglicemia:

 Tome uma atitude, mesmo se você não tiver certeza de ter hipoglicemia - esperar pode piorar os sintomas. Faça um teste de glicose no sangue para confirmar o problema. Tome sucos ou coma alimentos que contenham açúcar, como 1 / 2 xícara de suco de fruta, aproximadamente meia xícara de uva passas, ou 3 tabletes de glicose. (Esta é apenas uma amostra de tratamentos eficazes). Alimentos com gordura deve ser evitados, pois bloqueiam a absorção de açúcar no sangue.

Descanse pelo menos uns 10-15 minutos e reteste o nível de glicose no sangue antes de retomar o exercício. Não faça exercícios se estiver abaixo de 100 mg / dl ou se você ainda não esta se sentindo bem.
Se você decidir continuar a se exercitar, preste atenção na presença de algum sinal de que a hipoglicemia ainda esta presente. Teste o seu nível de glicose no sangue pelo menos a cada 20-30 minutos durante o treino. Após a sessão de exercícios coma um lanche composto de carboidratos complexos (alimentos ricos em amido).

A sensibilidade à insulina pode permanecer alta por 24-48 horas após a pessoa pára de se exercitar. Acredita-se que hipoglicemia de início tardio é mais comum do que a hipoglicemia que ocorre durante ou logo após o exercício. É também mais comum entre os iniciantes ou pessoas que se exercitam vigorosamente. Você pode ajudar a prevenir a hipoglicemia tardia perguntando ao seu médico sobre como ajustar a sua insulina ou medicação oral antes do exercício e aumentar sua ingestão de alimentos antes e após o exercício. Você também deve monitorar a glicose no sangue por 12 horas após os treinos longos (mais de 45 minutos) ou quando mudar a intensidade ou a duração do seu exercício - mesmo se o treino for inferior a 45 minutos.

O exercício para diabéticos tipo 2
Deixe seu corpo se acostumar com o exercício. Comece fácil e aumente gradualmente a intensidade e duração. Aqueça e resfrie seu corpo por 5-10 minutos exercitando em uma intensidade baixa, antes e após o treino de intensidade moderada. O aquecimento e resfriamento ajudará a prevenir problemas cardíacos, bem como torná-lo menos suscetível a lesões musculares. Não se exercite ao ar livre em dias muito quentes ou úmidos, pois você pode sofrer uma insolação. Nos dias mais frescos, use roupas leves, de cor clara, roupas de algodão, folgadas ou tecidos especiais que promovem perda de calor. Use um boné e aplique protetor solar. Para evitar a desidratação, beba um copo de água fria antes e depois do exercício. Se você se exercitar por mais de 30 minutos ou estiver suando muito, beba água durante o treino. Familiarize-se com os sinais de problemas do coração: dores ou mal estar no braço no peito, ou na maxila, náuseas, tonturas ou desmaios (também sinais de exaustão pelo calor ou hipoglicemia), dificuldade anormal na respiração durante o exercício, ou pulso irregular.

Exercícios físicos, juntamente com uma boa alimentação, ajudam a diminuir a gordura corporal, que ajuda a normalizar o metabolismo da glicose. Além disso, o exercício ajuda a diminuir fatores de risco coronariano, como pressão alta e colesterol alto.

O exercício aeróbico
Uma vez que muitos diabéticos Tipo 2 são sedentários e acima do peso, exercícios de baixo impacto, como caminhada ou bicicleta ergométrica é recomendado, junto com o exercício suficiente para promover a diminuição do peso. Sua meta deve ser exercitar-se cinco vezes por semana, entre 40-60 minutos por sessão em intensidade moderada. Este nível de exercício pode ser alcançado gradualmente, começando entre 10-20 minutos algumas vezes por semana para uma pessoa que nunca se exercitou. Lembre-se de que o aumento deve ser de apenas apenas um fator por vez (número de dias por semana, duração da sessão, ou intensidade).

O fortalecimento físico
Para quem não tem outras complicações, a musculação é segura e pode trazer muitos benefícios. Esta modalidade pode aumentar a massa magra que vai ajudar no controle do peso, bem como aumentar a captação de glicose pelos músculos que ajudam o organismo a armazenar glicose. Programas de fortalecimento físico são preparados com base na necessidade de cada pessoa, nos seus objetivos, e no tempo disponivel para exercitar-se.

A recomendação básica do American College of Sports Medicine é treinar pelo menos duas vezes por semana, fazendo 8-12 repetições por série de 8-10 exercícios visando os grandes grupos musculares. Precauções de segurança devem ser seguidas no caso dos diabéticos. Um fisioterapeuta ou personal trainer pode ajudar a criar um programa para o diabético tipo 2 e ajudá-los a exercitar corretamente.

A medicação não é suficiente para fazer um diabético se sentir bem e viver uma vida plena. Exercícios e boa alimentação promovem resultados mais realísticos - pois são essenciais para o controle do diabetes. Exercícios pode ajudar a prolongar a sua vida aumentando a qualidade e não só o tempo de vida. 

Aderir a um programa de exercícios físicos pode ser um desafio para qualquer um, mesmo com fortes razões de ordem médica para o exercício. Medir o nível de glicose no sangue antes e após o exercício pode ser um grande fator motivador. Diabéticos que anotam cuidadosamente seus níveis de glucose, comumente observam uma diminuição de vinte por cento do seu nível de glicose no sangue após o exercício. É fundamental que o exercício de seja divertido e exista alguma variedade na modalidade, como alternar entre bicicleta e caminhadas . O suporte familiar e um amigo que participe dos exercícios com você também ajuda muito.
 


Comments

05/25/2012 01:16

Exceptionally insightful thanks, It is my opinion your trusty audience would probably want a whole lot more reviews along these lines carry on the good hard work.

Reply
08/27/2012 05:34

Regular exercise is very necessary for a diabetes patients.If he do it regularly then it will help him to crntrol his sugar level

Reply
Tom
05/21/2013 15:23

oi euhbugnf

Reply
04/05/2014 09:22

Há duas semanas e meio, venho fazendo exercícios aeróbicos em academia e musculação, já estou me sentindo muito melhor, menos dores nos joelhos e braços. Tenho diabetes e procuro saber se com os exercícios eu tenho condições de baixar o nível da glicemia. Não preciso de usar Insulina. Hoje cedo medi a glicemia e ficou em 153 mg/dl. O bom dos exercícios é que seu corpo pede para continuar, é tudo uma questão de aceitar e esforçar um pouco. Já emagreci um pouco, parei de fumar e beber e estou com força para continuar. Parabéns pelo texto, Dra. Márcia porque quando pesquisei sobre o assunto na internet, me veio seu Blog e pude tirar as dúvidas.

Reply
Magda Medina
05/04/2014 15:15

Dra. Marcia, gostei muito do seu blog!
Parabéns pela iniciativa de esclarecer nossas dúvidas!
Não tenho diabetes, apenas estou pesquisando, pois meu último exame de sangue, acusou uma glicemia de 100 mg/dl, então achei melhor já ir fazendo algo para não ficar com diabetes! Melhor prevenir, não é mesmo! Obrigada!

Reply



Leave a Reply